Sobre visões:

julho 5, 2009

Bom, acontece que as galinhas tem me perseguido.Tenho visto galinha por tudo conte lado, impressionate, dai eu olho de novo e é qualquer coisa, menos uma galinha, tipo um saco de lixo, um cachorro…tá dando nervoso já.

Outro dia foi com urso polar…tem um nome, mas eu esqueci:  essa água que fica na beirada da calçada(que também tem um nome que  esqueci), quando as pessoas lavam o quintal, pois então eu vi essa água na forma de urso polar, mais pra frente vi um urso polar bebê, e tal visão persistia tantas vezes eu a olhasse.

Esse negócio é engraçadíssimo porque você realmente vê. Tipo eu sempre vejo gente em saco de lixo, a pessoa é o saco de lixo…Ai eu olho e começo a ver que a pessoa tá sentada na calçada com fone de ouvido. No outro dia de manhã você passa pela calçada e vê que era só um saco de lixo.

Isso acontece muito: acha que folha é algum animal e por aí vai…

B0m, isso é muito impressionate.

Sem mais.

Acho que Gregor Samsa é a coisa que tenho mais gostado de ouvir, e foi ouvindo que decidi dar uma passeio pelos textos, poeminhas e escritos antiguinhos, isso resultou em um forte sentimento de traição, mas seria mentira se eu dissesse que sinto culpa, acho que eu costumo sentir muita culpa por conveniência, mas até que melhorei com isso. Mas o fato é que foi maravilhoso e os meus dedos quase se mecheram sozinhos, seja pra fazer remendos seja pra excluir. Não tenho problemas em excluir, mas sim em fazer remendos e um tipo especial de remendos: os feitos depois de muito tempo.

Eu não sei se me reconheço sempre que leio uma coisa que escrevi há tempos, esse questionamento surgiu enquanto lia, algumas vezes eu não me reconheci. Estou bastante confusa com essa questão de se reconhecer…por exemplo quando penso em mim criança, eu me sinto como alguém que foi criança, é a Ju, ela, quando era criança e não eu…Mas é verdade que são várias pessoas, né?

As vezes começo as coisas e não sinto vontade nenhuma de terminar, como aconteceu agora (haha).

São apenas coisas escritas(são pedaços de pedaços), talvez não tenham sentido, que eu vou mostrar porque consegui independencia delas e até gosto:

a verdade é que ninguém nunca lê
a alma não lê;

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Deixe de ser eu pra entrar em mim.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Eu vejo nas nuvens
seios belos e alvos
de uma donzela desconhecida.
O esplendor que salta da nuvem
e atinge meu corpo
faz de minh’alma puro joguete do desejo.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

…Gosto de rolar como um abacate que cai no chão…
gosto de morder, gritar, emitir sons…Gosto dessa minha efusidade irritante
Eu quero sentar na calçada tagarelar e sorrir como quem é feliz, com as pernas soltas falando asneiras, e me sentindo um chuveiro que fala e é retardado…

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

A comida estava passando fome
e pra matá-la:
me comeu!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Vozes dançando

abril 19, 2009

algumas vozes sussurando baixo e carinhosamente

algumas vozes dançando com a minha

num dia cinza

de céu sem pássaros

são vermelhas e verdes e silenciosas…


aaaah! garganta doendo, áspera, febre, tosse ardida, desde sexta-feira tomando novalgina pelo menos uma vez por dia.E pra quem não sabe eu odeio novalgina, de verdade, aquele cheiro vai ficar impregnado em mim pelo menos uma semana, o gosto na minha boca então…Mas eu descobri que se vc tomar com café facilita muito…

Eu faltei do teatro pq eu to podre e ando do quarto pra sala e já fico sem fôlego.

Amanhã tem aula…hehehehe(irônico).Aquela sensação de não estudei, de quarta tem prova de matemática e aquela outra, pior ainda, de amanhã de aula de física…

daí eu canto pra vcs:

“Não saco nada de Física
Literatura ou Gramática
Só gosto de Educação Sexual
E eu odeio Química”

Bertold Brecht

Nada é impossível mudar
Desconfiai do mais trivial,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,
pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural
nada deve parecer impossível de mudar.

Vermelho

março 22, 2009

Milhares de flores amarelas sussurando uma canção que não consigo entender; milhares de flores me amando enquando eu apenas rodopio estando estática; milhares de flores me arrebentando me fazendo confusa, fazendo com que eu me perca já não sabendo onde estou.

Uma ventania vermelha me amando, todo o mundo distorcido e cheirando a vermelho.A ventania precisa parar; ela entra dentro de mim. É o ápice.As flores urram de maneira enssurdecedora, o vento não cabe dentro de mim, as flores se aproximam e meus olhos não podem fugir das suas repetiçoes geometricas que ficam mais afundo, quase no miolo.A ventania me doi, e muitos rostos rodam confusos ao longe.

A ventania me explode e tudo que os meus olhos já não podem ver fica vermelho.

Os dias tem sido cor cinza meio azulado e combinam com sorvete napolitano.
E a noite, a melhor coisa a se fazer é girar e olhar pro céu e quando parar… se deixar cair pela tontura deixando o riso sair como ele quiser…
girando..girando…girando…até se tornar o giro….até a cabeça voar do corpo.

Quando tudo fica distorcido…as coisas se arrumam melhor!

~~

Eu vou correr até próximas coisas
vou me deitar
rolar
vou olhar pros olhos todos
percorrendo cada um
meu corpo vai pulsar
e o vento será meu amante;..