Ontem à noite comecei, e praticamente terminei; faltam só alguns pedacinhos, um livro cujo título é “O melhor de Vinicius de Moraes”, esse senhorzinho tão docinho, essa doçura que eu tenho acreditado que só os homens, e alguns apenas podem possuir. Acho que as mulheres costumam ser bonitinhas o que pode ser confundido, embora não tenho  nada a ver com doçura.Tenho que dizer ainda que a forma como o Senhor Vinicius fala de amor é muito bonita(desculpem a “obviedade”(não sei se essa palavra existe), e também que um dos motivos pelos quais eu tenho inveja dos homens é a forma como eles amam, lendo Vinicius  essa inveja se deu pois essa forma fica evidente.

Bom…O livro tem poemas e artigos e crônicas e eu tenho uma tendência a gostar de livros que misturam as coisas, mas esse não é um bom exemplo…então eu vou falar do livro do Alex Polari, que tinha partes de diário e partes de poema…Foi um livro que ficou impregnado em mim de uma forma…O Senhor Alex o escreveu na prisão na época  da ditadura(ele era um preso político). Ele ficou preso durante nove anos, se não me engano…O filho dele nasceu quando ele estava preso e tem muitos poemas a respeito  dele, um em especial me comove muito toda vez que eu lembro, mas infelizmente eu não lembro o nome, não tenho mais o livro e falar do poema assim seria uma coisa muito horrível…

Ahhh! o livro se chama“Camarim de Prisioneiro”

Mas então…como eu ia dizendo antes, Vinicius…

eu vou colocar alguns trechinhos aqui só pra vocês, minha infinidade de leitores, ficarem com muita vontade e talvez experimentarem um pouco do que eu experimentei…Lá vai:

“Mas percebi, de repente, que nada disso tem a menor importância diante da lua que está no céu.Preciso apagar a luz, ficar quieto vendo a lua.Sou um bom fã de cinema, mas muito maior da lua.Hoje ela está cheia e ausente, imparticipante.Me perderei de tudo, olhando a lua.”

“Deixai-os se beijarem à vontade, porque o que em seus beijos irrita os burgueses moralizantes é justamente essa liberdade, essa beleza, essa poesia, esse voo que há num beijo de amor.”

O Mosquito

O mundo é tão esquisito:

Tem mosquito.


Por que, mosquito, por que

Eu . . . e você?


Você é o inseto

Mais indiscreto

Da Criação

Tocando fino

Seu violino

Na escuridão.


Tudo de mau

Você reúne

Mosquito pau

Que morde e zune.


Você gostaria

De passar o dia

Numa serraria —

Gostaria?


Pois você parece uma serraria!

Bom é isso!

Anúncios